//
você está lendo...
Legistitucionalissimamente

Liberdades para imprensa, expressão e reprodução

O balanço desse mês para o debate da liberdade de comunicação é enorme, muitos tiveram que ir à luz do dia afirmar o que pensam, se o STF, os donos das empresas de mídia, o estudante e até quem era mero especatador, mas que tinha fotinhas no orkut.  A publicização da demissão de um jornalista por pressão do Sen.  Jarbas vasconcelos, O blog da Petrobrás e a decisão do STF trouxeram, inegavelmente, um ar novo para o panorama.

“A decisão do Supremo Tribunal Federal sobre o diploma de jornalista é bem-vinda. Ela atesta como legal situação vivida por órgãos de imprensa, que, há anos, têm na sua equipe especialistas de outras áreas, com talento reconhecido, mas que não se formaram na profissão. A decisão do STF apenas ratifica uma prática que sempre foi nossa.

João Roberto Marinho”

Mesmo se observando que na Câmara dos deputados já se orquestra uma lei para a volta do corporativismo mais atávico o momento é promissor e estão abertas as possibilidades de novos verões. Há pouco no Fisl o presidente Lula em discurso admoestou a proposta de controle da internet presente no substitutivo do senador eduardo Azeredo.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje em Porto Alegre, no 10° Fórum Internacional Software Livre – fisl10 – que no governo dele é proibido proibir. A frase de Lula foi uma referência ao projeto de lei do senador Eduardo Azeredo, que propõe vigilância na Internet. O presidente foi ovacionado pelos milhares de participantes em sua primeira visita ao fisl, que mostraram uma faixa a ele, pedindo que vete a lei Azeredo. Sem afirmar que vai vetá-la, mas sinalizando que se trata de censura na Internet, Lula disse que antes o projeto precisa passar pelo Congresso.



Sobre o blog da petrobrás e também como síntese dos ultimos acontecimentos, nada melhor que um post do Jornalis Luís Nassif

Alguns desdobramentos inevitáveis do Blog da Petrobras – que, aliás, ocorreriam mesmo sem o Blog:

1. Os jornais terão que reaprender a fazer jornalismo, sob pena de terem suas matérias permanentemente questionadas por um circuito cada vez mais amplo de Blogs e sites.

2. Rompe-se o corporativismo e o fechamento da Petrobras. A partir do Blog, não poderá mais haver pergunta sem resposta. E essa tendência se espraiará por outras empresas e organizações.

3. A imprensa não poderá mais recorrer impunemente a dossiês, quebras de sigilo fiscal e outras práticas do submundo político e policial. A iniciativa da Petrobras de cobrar judicialmente explicações sobre a quebra de sigilo fiscal de seus diretores rompe definitivamente com o medo que paralisava empresas e pessoas alvos dessas operações. Os jornais serão cada vez mais questionados sobre a origem de suas informações. Como contrapartida à maior transparência das empresas, terão que ser cada vez mais transparentes. A questão do sigilo de fonte terá que ser revista para aquilo que se aplica mesmo: informações relevantes para o país.

4. Acaba definitivamente o monopólio do jornalista na intermediação da notícia. Hoje em dia tem-se a hipocrisia de assessorias de imprensa cada vez maiores, enviando releases que são publicados como se fosse apuração do veículo. Daqui para frente, cada vez mais empresas, associações, ONGs etc serão geradoras de notícia, que terão tanta (ou maior) credibilidade quanto as notícias jornalísticas. Essa nova modalidade exigirá de todos esses grupos a capacidade de gerar notícias tecnicamente bem feitas – o que abrirá um novo mercado de trabalho para os jornalistas.

http://fisl.org.br/10/www/06/26/lula-diz-que-projeto-azeredo-e-censura-na-internet

lula e Peter Sunde do Pirate Bay

atualizado: como eu poderia esquecer do caso do Se. Jarbas Vasconcelos

Anúncios

Discussão

Os comentários estão desativados.

Gotas

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

agenda

junho 2009
S T Q Q S S D
« maio   jul »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  
%d blogueiros gostam disto: